Por que todo mundo entende de marketing? Parte – 7 – Os experts por correspondência – Marketing Médico – MedTarget

Por que todo mundo entende de marketing? Parte – 7 – Os experts por correspondência

Por que todo mundo entende de marketing? Parte – 8 – Dinheiro move o mundo?
13 de abril de 2020
Por que todo mundo entende de marketing? Parte – 6 – Erros e ilusões
15 de abril de 2020
Show all

Por que todo mundo entende de marketing? Parte – 7 – Os experts por correspondência

Fiz um curso, virei expert..

Me odeiem. Não ligo. Mas só posso dizer a você que: virou expert em PORRA NENHUMA. Vou falar de novo o que já falei em posts anteriores, um curso desses sem uma base mínima é como uma residência em cirurgia plástica sem conhecimento de anatomia. E, vou dizer, é cada uma que nós escutamos…

Assim, existem uma infinidade de cursos online de marketing que prometem mundos e fundos. Já fiz alguns, até por benchmark. Quando recomendo o curso da DMI e ESPM não é questão de publicidade, não ganho nada deles. Mas é porque se tratam de instituições sérias e que, antes de qualquer coisa, ensina o básico. Antes de querer vomitar sobre leads, tráfego, etc. eles vão te contar sobre os princípios do marketing digital, saber o que é marketing, o que é publicidade, o que é atribuição de cada um.

Não é desmerecendo os outros cursos, mas é uma questão de saber o que você quer e qual é o objetivo do curso.  Frequento eventos e estudo cursos online há alguns anos (Fire Festival da Hotmart) e a primeira coisa que você precisa saber é: cursos online vivem da sua recorrência. Sabe o que isso significa? Significa que eles sempre precisarão deixar algo em suspenso para você aprender. Caso contrário, acabou a fonte de renda. 

Mas isso é o de menos, até porque nesse mundo, ainda que fosse aprender tudo, as atualizações são tão frequentes que você teria conteúdo para aprender para sempre. O importante é você se questionar: esse curso, é para mim?

Então, este curso é para mim?  Vou parafrasear Matt Mooney, chefe de estratégia digital da DDFH & B, de Dublin, uma das mais premiadas agências européias. Matt é professor do curso de Certificação Internacional em Marketing Digital da DMI e ESPM: O digital é fascinante, por isso é muito fácil de você se perder nele. E como se perder? Achar que tudo no mundo digital pode ser aplicado ao seu caso. 

Aí é que falta o básico do básico… A grande maioria desses cursos são voltados a um público muito específico: em geral, àqueles que convertem em seus sites, seja por e-commerce, seja por cursos, downloads, etc. A maioria pretende vender online de ponta a ponta. Este é o seu caso? Pense aí antes de responder…

Enquanto isso conto um caso. Não faz muito tempo, um cliente ligou perguntando o porquê não tínhamos rastreadas suas conversões no site, nem instalado pixels de redes sociais, porque ele havia feito um curso de leads, e a primeira coisa que o curso dizia era fundamental adotar essa práticas. Eu respondi o básico: não há instalamos pixels das campanhas de redes sociais no seu site porque, por sua própria determinação, suas campanhas de redes sociais não levam ao seu site. E seu site não tem ações de conversão para serem rastreadas.

Ele retrucou: “Como assim? Vi no curso que isso era a primeira coisa a se fazer, e por que não há ações de conversão em meu site?”

Neste momento percebi que era mais complexo do que eu imaginava: ele não sabia ao certo o que era uma conversão, tampouco para que servia o rastreamento das redes sociais no site… 

VOCÊ É AQUELE PACIENTE QUE MAIS ODEIA. Não é demérito, e, desculpem a franqueza, estou certo de que, de todos os leitores, poucos têm a clara noção do que seja uma conversão e função do pixel.

Em poucas palavras conversão é uma ação pretendida no site. No caso do e-commerce pode ser uma compra, em outros casos pode ser um download, um clique em um link, a visualização de um vídeo…

Entendido isso, vou, mais uma vez, usar um exemplo da cirurgia plástica. Este, dentre tantos outros clientes, são exatamente aqueles pacientes que chegam ao consultório pedindo para que você opere seu rosto e a transforme em uma estrela de cinema. Como cada paciente é único, cada negócio e serviço também é. 

Então, após explicar o que é conversão, perguntei: você não é e-commerce, seu site não tem agendamento online, então o que você quer o cliente faça dentro do seu site: veja o whats app na home e envie mensagem, seja pelo telefone seja pelo plug in.

Ora, uma pessoa que vê o telefone e liga ou manda mensagem é impossível de rastrear por códigos. Aquelas que enviam mensagem pelo plugin, bom, apenas se criarmos um rastreamento para links externos. O fato é que você não quer nada no seu site além de uma breve visualização no número de telefone. Você nem quer que o paciente vá das redes sociais para o site, mas vá direto para o WhatsApp ou para as mensagens das próprias redes sociais, não é isso? 

Ele me respondeu afirmativamente. A minha vontade foi retrucar: então para que diabos você vai rastrear uma ação que você não deseja?

Mas não o fiz. De toda forma, a verdade é que, no caso dele, o site é um acessório essencial para credibilidade e SEO, mas pela natureza de seu negócio, pelas regras do seu negócio, isso de conversão e rastreamento não se aplicariam ao seu caso. 

Mas eu vi o cara falando que vou vender e que vou conseguir milhões…

De novo, isso aplica ao seu caso? Esses cursos mostram vendas online, pelo Instagram e o raio que os partam. NÃO SÃO PARA VOCÊ, você não vende nada na Internet, NÃO SE ILUDA. E não só esses cursos de rastreamento e leads: como vender pelo Instagram, como fazer dinheiro pelas redes sociais… Se você não tiver os princípios básicos nenhum curso mais específico vai te atender. Você vai tentar aplicar o que aprendeu a qualquer custo e nem sempre funciona. Discursos sedutores servem apenas para seduzi-lo.

Repito, isso tudo porque ele não sabia o básico. Se ele soubesse, certamente não compraria esse curso. E, se o fizesse, saberia que não se aplica a ele. Vou transcrever e/ou parafrasear aqui mais algumas frases do  Matt Mooney

1 – O MAIS IMPORTANTE DE TODA CAMPANHA É MANTER UM ÚNICO OBJETIVO DESDE O INÍCIO. 

2 – APRESSAR O SUCESSO É A CHAVE DO FRACASSO. QUALQUER MARCA QUE ESPERA (no sentido de expectativa) DEMAIS, CEDO DEMAIS, OU QUE INTRODUZEM COISAS E EM SEGUIDA ACABAM COM ELAS CEDO DEMAIS, NÃO DERAM TEMPO PARA AS COISAS RESPIRAREM. O DIGITAL É UM ECOSSISTEMA QUE REQUER TEMPO, ESFORÇO E PACIÊNCIA PARA GARANTIR QUE AS COISAS FUNCIONEM.

3 – Recursos não são apenas financeiros. Eles são basicamente TEMPO, DINHEIRO e PESSOAS e sobre isso:

  • Tempo
    • As pessoas subestimam a quantidade de tempo consumida
    • Está diretamente relacionada com a quantidade e qualidade de pessoas envolvidas
  • Dinheiro
    • É o que causa frustração. As pessoas tinham a percepção que o digital era relativamente gratuito e rentável, que era um uso eficaz do orçamento com retorno rápido.
    • Com o avanço das tecnologias, o digital se tornou mais complexo, requerem muito mais tempo, mais investimento e mais ferramentas que precisamos usar para medi-lo de forma eficaz (ferramentas que custam dinheiro – muito)
  • Pessoas
    • O recurso mais subestimado – precisa-se das pessoas certas para os lugares certos
    • Empresas normalmente visam sucesso prematuro e dedicam pouco esforço na busca por pessoas certas
    • Elas colocam uma pessoa cuidando do social, o social decola, mas brevemente cai porque a pessoa é incapaz de realizar seu trabalho adequadamente porque existe muita demanda. Ou você cria um site simples e vai aprimorando. Acontece que o site exige desenvolvimento e trabalho e você descobre que não tem as ferramentas e habilidades necessárias 
  • É importante saber os recursos necessários desde o início, então você pode planejar e colocar no seu orçamento

Não tente fazer tudo ao mesmo tempo, nem ache que tudo se aplica a sua realidade. Semana que vem, o último post desta série… não perca 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *